O voo livre no Brasil

O voo livre chega ao Brasil através do francês Stephan Dunoyer de Segonzac que realizou a primeira decolagem de asa delta no Rio de Janeiro em 1974. Algumas fontes dizem que o primeiro voo foi feito do Cristo Redentor, mas o relato de um cinegrafista amador mostra que houve um voo na semana anterior feito de um local entre a Pedra Bonita e a Agulhinha, possivelmente do local onde é hoje a rampa de São Conrado. O voo foi filmado e está disponível online no youtube.

Este cinegrafista trabalhava no escritório do Sérgio Bernardes, dono do terreno da Pedra Bonita naquela época e o responsável pela construção da estrada que dá acesso à rampa até hoje. O francês tinha ido ao escritório de Sérgio Bernardes para pedir autorização para realizar o voo.

De qualquer maneira, o voo de Stephan despertou a atenção de muitas pessoas e logo surgiram os primeiros interessados em aprender a arte de voar. Dois dos mais entusiasmados procuraram o piloto francês e decidiram começar a voar. Na busca de um morro ideal para iniciar as aulas, chegaram até um amigo Luiz Cláudio, que tinha um terreno de acordo com as necessidades para o curso. Algum tempo depois, os dois desistiram do curso e após dois meses de um conturbado curso, o amigo, Luiz Cláudio Mattos, que havia entrado por acaso na história, veio a se tornar o primeiro piloto brasileiro de asa delta.

O primeiro voo feito por um brasileiro foi realizado em 1974. Nos anos 80 alguns paraquedistas faziam saltos de encostas no Rio de Janeiro. Existem relatos de saltos de paraquedas realizados da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, com pouso na praia do Pepino.

Mas o parapente propriamente dito foi logo trazido ao Brasil. François Knebel e seu amigo, Jerome Saunier, em 1987 realizaram os primeiros voos de parapente da pedra Bonita, no Rio de Janeiro. Jerome ainda mora no Brasil, em Canoa Quebrada, e voa até hoje.

Em 1988, o suiço François Knebel ensinou alguns alpinistas, pára-quedistas e voadores de asa que começaram a voar da rampa da Pedra Bonita. Os primeiros pilotos brasileiros de parapente foram Ruy Marra, Bruno Menescal, Daniel Schmidt, Luiz Otávio Menezes Filho, Patrick Bredel, Antônio Lage e Andréa Lima Duarte.

Em 1979, sediamos o primeiro campeonato internacional em terras tupiniquins.

voolivre1

Campeonatos e recordes

Em novembro de 1975, o número de pilotos já era mais de uma dezena e resolveram então realizar o 1o campeonato Brasileiro de Vôo Livre.

Após o primeiro campeonato e por conta do crescente número de adeptos, em Dezembro de 76, foi fundada a Associação Brasileira de Vôo Livre (ABVL) com o intuito inicial de controlar o acesso à rampa da Pedra Bonita, que acabou sendo definitivamente cedida aos pilotos e utilizada até hoje. Em 2001, a rampa foi reformada e recebeu o nome de rampa Maurício Klabin.

Primeiro campeonato internacional de voo livre. De lá pra cá muitas conquistas foram alcançadas por nossos atletas. Umas das mais importantes foi o título de campeão mundial de asa delta conquistado por Pepê, o eterno menino do Rio, no Japão em 1981. Pedro Paulo Guise Carneiro Lopes era um exímio esportista, além deste título, Pepê conquistou o sexto lugar no Pipe Masters no Havaí e campeão carioca de hipismo. O atleta faleceu em 1991 também no Japão onde tentava o bicampeonato de asa delta, quando sofreu um acidente fatal.

O 1° Campeonato Brasileiro de Parapente foi realizado em 1989 na rampa da Serra do Vulcão, em Nova Iguaçu, Rio de Janeiro e teve como campeão o piloto Bruno Menescal. Em 1991, o Brasil recebeu um Campeonato Mundial de asa delta pela primeira vez. A cidade de Governador Valadares em Minas Gerais foi palco da conquista do campeão Suchanek Tomas da Tchecoeslováquia, seguido pelos brasileiros Pepê, que conquistou o segundo lugar, e Coelho Paulo, que ficou em terceiro. Em 1999, nossa equipe de asa delta sobe novamente ao lugar mais alto do pódium mundial, agora conquistando o título de Campeão Mundial por equipes na Itália, quando os brasileiros André Wolf e Pedro Matos conquistaram o segundo e terceiro lugares, respectivamente. No parapente o Brasil também faz bonito. Em 2003, mesmo ano em que a cidade de Brasília sediou o campeonato mundial de asa, o capixaba Frank Brown consagrou-se vice-campeão mundial em Portugal.

Os brasileiros também foram pioneiros em uma grande façanha: pela primeira vez na história 3 pilotos quebraram o recorde mundial de distância voando juntos 461,8 km partindo da cidade de Quixadá, no Ceará, em 2008. Kamira Pereira, em 2009 também conquistou o recorde mundial feminino de distância voando 324,7 km partindo da mesma cidade. No dia 15 de outubro de 2013, o piloto Eduardo Fernandes, o Dudu DF, quebrou o recorde sul-americano de distância em asa delta voando 576 km a partir de Tacima na Paraíba.

 Veja o vídeo logo abaixo:

Link da notícia: http://www.abvl.net/historia-do-voo-livre/